Promoções

sábado, 17 de janeiro de 2015

5 dicas para focar no cliente ideal




Há uma grande diferença entre visitantes e clientes. É o que explica o empreendedor canadense Matthew Toren, em post para o site entrepreneur.com.

Segundo ele, a lógica é simples: Você prefere que o site da sua startup tenha 10 mil visitantes mensais com uma taxa de conversão de vendas de 10% ou que ele atraia 100 mil usuários, dos quais apenas alguns resolvem comprar algo?

Essa questão, por mais simples que seja, permanece uma grande fonte de frustração para muitos empreendedores online. Frequentemente, eles investem muito tempo, energia e dinheiro para direcionar fluxo para seus sites, apenas para descobrir que as pessoas atraídas não são o público-alvo da marca.


Como, então, evitar as armadilhas da geração de fluxo sem objetivo? Toren oferece cinco dicas:

1. Seja um solucionador de problemas. É inegável que parte do sucesso de um negócio vem de um bom timing dos seus produtos ou serviços. Você precisa atender às necessidades das pessoas. O segredo é achar um negócio que tenha problemas que você realmente goste de solucionar, com clientes cujas necessidades você é ótimo em atender. Quando você consegue identificar o seu nicho, o seu objetivo foge de apenas ganhar dinheiro e passa a ser a prática de uma paixão única que oferece soluções para as necessidades daquelas pessoas.

 2. Entre na mente do seu cliente. As pessoas não fazem compras apenas porque precisam de coisas, e sim para satisfazer algo mais profundo dentro de si. Geralmente, é o sentimento que um consumidor associa ao produto que faz com que decida ou não fazer a compra. Todo mundo precisa de um par de sapato, mas não é qualquer sapato que saciará esta necessidade. É aqui que entram o branding, a reputação e o serviço ao consumidor. Na realidade, é esta a motivação da existência do marketing. Descubra o que interessa e anima o seu público-alvo. Esta é a única maneira de fazer uma campanha publicitária na medida para aquelas pessoas que não pensariam duas vezes para comprar o que você estiver oferecendo.

3. Onde estão os seus clientes? No marketing online, determinar como o seu mercado interage com a internet é de extrema importância, pois revela “onde” os seus clientes estão dentro da rede. O comportamento online pode indicar quais sites eles frequentam, as redes sociais que preferem etc. Uma vez que você sabe onde encontrar o seu público-alvo, pode focar nos locais em que é preciso uma presença forte. Isso assegura movimento na direção de clientes que estarão prontos para receber o seu produto, e impede que você perca o seu tempo com tentativas frustradas, que são caras e ocupam muito tempo.

4. Você realmente conhece os seus clientes? Para descobrir de fato quem são seus consumidores potenciais, é necessário pesquisar a fundo. O importante é aprender sobre eles e até mudar com eles. Descubra quais livros leem e onde fazem compras. Se você usar tempo para acumular este tipo de informação, você conseguirá ter uma ideia mais nítida de quem é o seu consumidor.

5. Feche o negócio. Ao conhecer os seus consumidores e entender onde estão e como pensam, você pode projetar uma campanha de marketing online que tenha apelo especial para as pessoas a quem você quer vender a sua marca. Se você for um solucionador de problemas, você é forçado a se conhecer melhor e saber quais são os pontos fortes e fracos da sua marca. Porém, entender com quem você quer interagir online é o que determina o sucesso do negócio.

Empreendedorismo: Muito além das Redes Sociais



De acordo com o site e-commerce, lojas virtuais surgiram em meados dos anos 1990 e são a face visível de uma verdadeira revolução no comércio. Nas lojas virtuais não há necessidade da presença física nem do comprador, nem do vendedor; lojas virtuais não necessitam do manuseio de papel moeda e, tampouco, necessitam da mercadoria no momento da transação. Nas lojas virtuais, a relação ocorre entre um comprador e um sistema hospedado em um computador localizado em qualquer lugar do planeta.

5 hábitos para extrair mais das mídias sociais




Comece 2013 com alguns novos comportamentos para aumentar sua influência nas mídias sociais e melhorar o relacionamento com seguidores e clientes.

Tornar-se influente nas mídias sociais pode ser uma forma interessante de atrair a atenção de potenciais clientes, principalmente para uma empresa nova. Aumentar a repercussão de sua companhia online é um bom plano para 2013. Mas, com tantos perfis e tantas mídias sociais, essa nem sempre é uma tarefa simples. Em sua coluna na revista Inc., John Brandon lista cinco dicas para a visibilidade da sua marca crescer neste ano.

1. Procure as pessoas influentes
O seu alvo devem ser as pessoas mais influentes nas mídias sociais. Identificar 100 pessoas influentes é exponencialmente mais efetivo do que conseguir 5 mil followers menos influentes. Por quê? Quando um perfil influente republica os seus posts ou comenta em algum link, sua mensagem pode atingir centenas de milhares de usuários de Twitter ou Facebook em um instante. Mas ter 5.000 seguidores (ou até 50 mil!) que não estão realmente interessados no que você tem a dizer é o fim. Se você criar um aplicativo para celular, tente conseguir a atenção de perfis que cubram essa área. Se você faz consultorias, tente ver se algum especialista da área segue os seus tuítes.

2. Saiba quem são seus seguidores
Um hábito que Brandon desenvolveu foi o de sempre procurar mais detalhes sobre novos seguidores ou sobre aqueles que republicam seus tuítes. Mídias sociais devem ser, acima de tudo, sociais. Isso pode ajudar em diversas maneiras. Segundo ele, nosso cérebro correlaciona melhor informações a pistas visuais. Se você souber que João da Silva mora em São Paulo e gosta de Coca-Cola, você irá montar uma imagem e conexão mental.

Ao se comunicar com esse seguidor, usar esses interesses pode ser uma forma de desenvolver uma conexão maior com o usuário. Uma ferramenta interessante para conhecer a pessoa por trás do perfil é Rapportive.

3. Sempre responda
Brandon conta que costumava evitar esse passo. Mas, na realidade, criar um diálogo ajuda a prolongar a conexão nas mídias sociais, ainda que pareça um tópico negativo. Por exemplo: se alguém postar uma crítica sobre um dos artigos ou produtos da empresa. Ao invés de ignorar, a sugestão é interagir com a pessoa e discutir sobre o que não a agradou. Talvez isso ajude a melhorar a qualidade do produto. Mais importante que isso, significa que todo mundo vê que a companhia se preocupa o suficiente para responder.

4. Agende-se
Quanto mais ativa uma empresa nas mídias sociais, melhor. Agendar posts com uma ferramenta como HootSuite, na qual você pode programar uma postagem para ser publicada mais tarde, significa assegurar que você tem uma presença ativa.

5. Aventure-se para além do Twitter e Facebook
As duas maiores mídias sociais recebem toda a atenção. Mas usuários que usam essas mídias há algum tempo tendem a ignorar as empresas. Sites mais novos, como o Pinterest, podem ser um lugar melhor para desenvolver seguidores, dependendo do assunto, porque há uma grande massa de usuários simplesmente clicando em tudo e conferindo todas as novidades. Tenha sempre um olho para novas mídias em ascensão.

Fonte: internet

Você sabe o que é Direito Digital?



Você sabe o que é Direito Digital?


Estamos na era digital. Somos totalmente dependentes da informação e o modo como esta se propaga muda constantemente. Os jornais e revistas de papel tornam-se objetos quase esquecidos diante da variedade de veículos digitais e eletrônicos e da falta de tempo livre das pessoas. Não podemos sequer imaginar passar um dia sem internet, TV, rádio ou celular em pleno século XXI.


No entanto, com as mudanças, surgem novos problemas. A rapidez com que as informações se propagam no ambiente digital é muito grande, sendo cada vez mais difícil controlar o compartilhamento. Por isso, os crimes de internet estão cada vez mais rotineiros e já não se limitam a pessoas físicas. O número de empresas prejudicadas pelo uso indevido da internet está aumentando e foi necessário criar uma competência para solucionar problemas dessa área.


Toda inovação tecnológica implica em mudanças comportamentais, sociais e também jurídicos. Nesse contexto nasceu o Direito Digital, como uma evolução do próprio Direito. O direito digital veio orientar, apoiar e capacitar pessoas e empresas no sentido de proteger informações, negócios e relações no ambiente digital. Podemos citar entre os principais problemas que afligem as empresas, o vazamento de informações confidenciais, o furto de dados, a concorrência desleal e a pirataria. De forma abrangente, o Direito Digital Capacita indivíduos e instituições conscientes em relação ao uso da tecnologia. Se você é empresário, gerente ou gestor, fique atento aos seus direitos e deveres digitais, protegendo a integridade do seu negócio.

6 dicas para se tornar mais produtivo



Há dias em que você não consegue produzir direito. Isso é um fato e nem adianta negar. Então, reconhecer isso pode ajudá-lo a se tornar mais produtivo. Às vezes você está mais disperso, dormiu mal na noite anterior, insiste em fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo. Algumas atitudes simples podem ajudá-lo a se manter mais focado. Veja a seguir seis dicas que Ed Powers, líder de investimentos do Bank of America Merrill Lynch, deu à revista Inc.


1. Comece pelas coisas que você não gosta de fazer. Um dos pontos que costuma prejudicar a produtividade é adiar tarefas e decisões difíceis. “Certa vez trabalhei com uma mulher que me sugeriu retornar as ligações mais desafiadoras logo pela manhã”, diz Powers. Segundo ele, algumas tarefas exigem que a mente esteja limpa e longe de distrações, o que acontece mais no período da manhã. Isso vai tornar seu dia melhor.

2. Não seja escravo de sua caixa de entrada. Você certamente se conhece o suficiente para saber que ao responder a todos os e-mails e às mensagens de texto (e vamos incluir tuítes, publicações no Facebook etc?) o mais rápido possível você se dispersa num piscar de olhos do que deveria fazer naquele momento. Reunir várias mensagens para responder de uma vez – e um tempo depois que elas chegam – pode ser bom para fazê-lo pensar no que quer dizer exatamente, sem precipitações.

3. Fale diretamente com outras pessoas. Às vezes, tratar assuntos por e-mail aumenta sua produtividade. Mas se a situação se tornar um pingue-pongue de mensagens, o melhor a fazer é conversar com o outro pessoalmente ou por telefone. Não vale a pena atrasar uma decisão de que você não quer tomar.

4. Bloqueie as distrações. Quando você precisa fazer algo que realmente demanda sua atenção, torne-se monotarefa. Ser multitarefa nesses momentos só atrapalha. Com certeza você vai terminar sua atividade antes. Com foco, você será capaz de concluir a tarefa com mais qualidade e rapidez. Se você é do time dos que se orgulham de ser multitarefa, encare essa dica como ser um multitarefa em série, com uma tarefa concluída após a outra – e não com todas em execução ao mesmo tempo.

5. É preciso começar. A inércia é uma força poderosa, até menos no ambiente de trabalho. Nada vai ficar pronto sem que você comece. O que parece ser algo inatingível ou uma tarefa monstro pode se tornar mais simples se for dividido em partes. Além disso, você se sentirá melhor depois de dar um jeito nesses desafios maiores.

6. Reflita sobre como você faz as coisas. Conhecer a si mesmo é uma ferramenta importante. Você realmente vai ler um relatório enorme durante uma viagem a trabalho? Vai passar a noite acordado por isso? Vai se cansar e começar a assistir a algum filme ruim no avião? Então deixe o relatório de lado e deixe para pensar nele depois de umas horas de sono – com a mente mais descansada.

Fonte: Internet